Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Muita gente e muita fé

por aquimetem, em 17.06.10

          Mais uma vez decorreu com brilho, na cidade de Lisboa, a Festa do Corpo de Deus que anualmente se realiza na 5ª-feira a seguir ao Domingo da Santíssima Trindade.  Festa que no ano de 1246 teve a  sua origem na cidade de Liège  (Bélgica), e que depois, em 1264, o Papa Urbano IV, dotando-a com Missa e ofícios próprios, alargou a todo o mundo através da bula "Trânsitos.  Terá chegado a Portugal nos finais do século XIII, e é uma das 7 solenidades religiosas que o povo português  festeja, e a que mais nos torna  identificados com  a nossa condição de fieis cristãos.  

          Além da Festa do Corpo de Deus, temos mais o 1º de Janeiro, Dia de Santa Maria, Mãe de Deus; a Sexta-feira Santa, anterior ao Domingo de Páscoao 15 de Agosto, Assunção da Virgem Santa Maria; o 1 de Novembro, Dia de Todos os Santos; o 8 de Dezembro, a Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, e a 25 de Dezembro, o Natal do Senhor. E mais devíamos ter, pois um 6 de Janeiro (Dia de Reis) ainda hoje se festeja em Espanha, e um 19 de Março (Dia de José) ou uma Quinta-feira de Ascensão (40 dias depois da Páscoa) são datas muito mais sentidas e vividas na alma do nosso povo do que por certo alguns feriados de ocasião....E  também não me venham dizer que é  devido aos dias santos de guarda  e aos feriados nacionais que Portugal entrou em crise económica e deixou de produzir riqueza, porque só os ignorantes  acreditam nos que fazem disso tese sua. Que são os mesmos de sempre: aqueles dos casamentos homossexuais. Na Alemanha que é o país economicamente mais forte da zona euro, na 5ª-feira do Corpo de Deus todo o comercio está encerrado, até nisto os alemães nos dão lições.

           Mas vamos à nossa Festa do Corpus Christi, sabido que: em Lisboa, a partir do século XV, a sua procissão se tornou numa das mais grandiosas manifestações de devoção popular. E hoje mais do que noutras alturas é necessário e urgente continuar a caminhar "partindo" de Cristo, ou seja da Eucaristia. " Comer este pão é comunicar, é entrar em comunhão com a pessoa do Senhor vivo", afirma o Papa Bento XVI. Caminharemos com generosidade e coragem, dispostos a ser fermento da comunhão e decididos a servir todos, sobretudo os mais pobres. 

          Depois de vários anos interrompida, o cardeal D. António Ribeiro voltou a restaura-la em 2003, e assim em Procissão de novo " Cristo Vivo" passou a percorrer como outrora o coração da Baixa alfacinha. Este ano o dia calhou a 3 de Junho, e  a Procissão saiu da Sé às 16h30 e pela Rua das Pedras Negras tomou a direcção da Praça da Figueira, e dali pela Rua da Prata ao encontro da Rua da Madalena por esta regressou  à Sé Patriarcal, cerca das 17h30. Muita gente e muita fé pudemos ver.  

Como sempre cabe as Forças de Segurança abrir fileiras....Aqui a GNR no comando!          

 A Cruz sinal do cristão

 

 Os vários estandartes e bandeiras

 

Diversas ordens e irmandades.

 

Arautos do Evangelho

 Religiosas de diferentes ordens

 Pça. da Figueira -  Párocos das diversas paróquias de Lisboa

 Dignatários da Igreja em serviço no patriarcado de Lisboa 

 O Prior de São Domingos e Capelão da Senhora da Saúde

O Palio que abriga a Custódia onde escondido vai Cristo em Corpo e Alma 

 Muito povo e muitas religiosas

 

 Filhas da Madre Teresa de Calcutá

 Rua da Prata - A cauda da Procissão

Largo da Sé

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:33


2 comentários

De mg a 10.07.2010 às 11:34

Nunca fui a esta Procissão, aqui em Lisboa.Não sabia que era assim tão grandioso, embora já soubesse que levava sempre muita gente.Bonito!
Os GNRs com os cavalos, é que acho demasiado pomposo; mas tudo bem.Vê-se que afinal há povo com fé e provinciano, cá por baixo. Menos mal...dá para desviarmos um pouco das misérias politicas.

De aquimetem a 10.07.2010 às 12:54

Que vergonha! E ainda o diz, pois eu já fui a muitas e vou sempre que possa. E não sou beato, mas homem de barba rija

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D