Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Com mais de cem !!!

por aquimetem, em 30.07.12

           A 2km afastadas de Fátima (rotunda norte), ficam as Grutas da Moeda, já na freguesia de São Mamede, concelho da Batalha, distrito de Leiria. Há muito que não as visitava e por isso aproveitei um convite para o fazer no sábado, no fim de almoço e após uma curta passagem pelo Altar de Mundo para saudar a nossa  Mãe Celestial.

          O dia estava convidativo e o ambiente na Gruta ronda os 18ºC, tanto de Verão, como de Inverno.

           Descobertas em 1971, por dois caçadores em perseguição de uma raposa que se escondeu numa lura, e a curiosidade dos caçadores levou à descoberta desse tesouro, constituído de estalactites e estalagmites, que no subsolodo estremenho, do maciço calcário da serrad'Aire, se formou, são hoje motivo de admiração para portugueses e estrangeiros que dali partem encantados.

 

         Com uma "extensão visitável" de 350 metros e profundidade de 45 metros "abaixo da cota de entrada", a Gruta depois da sua descoberta foi posteriormente estudada por conceituados geólogos e espeleólogos que reconheceram o seu interesse cientifico e turístico, recomendando uma rigorosa preservação não só da gruta, mas de toda a área envolvente. É o que vem fazendo ali os concessionários da sua exploração comercial, com pavilhões de apoio informativo e didáctico, e pessoal atencioso e competente. 

           São diversas as salas ou estações que obrigam a uma paragem com elucidação didáctica, com destaque para o Lago da Felicidade, a Sala do Presépio, a Sala do Pastor, o Nicho da Virgem, a Cúpula Vermelha, Capela Imperfeita e Fonte das Lágrimas.

 

           Todas as salas são bonitas e eu que já visitei as grutas de Aracena, Espanha, e as de Bétharram, em França, assim como as demais que deste género existem em Portugal abertas ao publico, confesso que todas são parecidas, mas cada uma com o seu encanto.

  

           Uns momentos bem passados nas profundidades da  terra, onde não entra a luz do Sol, mas  existe energia por ele fornecida. Vale a pena visitar, em quanto se tem pernas;quando não, ficamo-nos pela Fonte das Lagrimas que aqui é a ultima sala da visita. Cá fora, no pavilhão comercial, esperava-nos uma provazinha, ofertada, de Abafadinho da Moeda, e a seguir, a caminho de Leiria, uma paragem à sombra para uma merendinha preparada pela Helena e ajudada a comer pelo David, o Paulinho e mais um pendura que não vou dizer quem sou. 

 

          A meta estava no Hospital de Santo André, e o alvo era visitar o Sr. Padre  Virgílio,  ali internado a recuperar de uma intervenção cirúrgica. Lá fomos levar a nossa amizade e no fim regressar ao ponto de partida, dado que eu á noite ir ter lauto jantar como já Na retaguarda relatei hoje. Bem,  se não abrando o andamento.... chego a Lisboa com mais  de cem!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:06


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D