Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A arte das cores e Portugal

por aquimetem, em 03.10.13

Um mestre do pincel e paleta, que nas cores fortes se inspira

          O pintor António Carmo é um distinto alfacinha que nasceu na Madragoa, em 1949. Fez os seus estudos na Escola Decorativa António Arroio, onde na área de Pintura cursou. Dotado com forte vocação e sensibilidade  para a prática de tudo quanto seja arte em movimento e cor, também o actuar em  palco ou salão lhe cativou o gosto, que satisfez, ao fazer parte do Grupo de Bailados Verde Gaio, entre 1967 e 1980.

          Mas é do pintor que Fernando Paulouro Neves, faz este comentário: "Um dos traços distintivos da Pintura de António Carmo é o universo cultural que ela ilumina e reflecte como caligrafia plástica de grande beleza". Que mais adiante remata com este final: " Vou a Malraux e encontro porventura uma definição da arte de António Carmo, quando, em " As vozes do silêncio", ele escreveu: "A pintura tende muito menos para ver o Mundo que para, a partir dele, criar um outro; o Mundo serve o estilo e serve o Homem e os deuses". E clarifica: " À pergunta " o que é a Arte?", somos levados a responder:Aquilo pelo qual as formas se tornam estilo" É essa a verdade que irrompe e se afirma com as suas metamorfoses de imaginário, no universo criador de António Carmo".

          De trato afável, expressivo e  franco, o mestre Carmo deu-se-me a conhecer numa estação do Metro, onde ambos costumamos apanhar transporte, e desde esse dia passamos a ficar amigos. A sua pintura que já o levou a todos os cantos do mundo é também um complemento para o enriquecimento da bagagem cultural que a sua simplicidade não alardeia, mas o comportamento revela. Desses muitos países em que já expôs, destacamos: Inglaterra. Espanha, Holanda, Bulgária, Alemanha, Bélgica, Checoslováquia, Luxemburgo, Macau, Japão, Austrália, Guiné-Bissau, Marrocos, U.S.A; Canadá, Venezuela, Suíça, Suécia, Cabo Verde e Brasil. No país, não deve haver sítio nobre onde não tenha exposto. Neste momento, por um convite para a abertura da exposição sei que de 2 a 8 de Outubro pode ser visitada no Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, na Rua Fialho de Almeida, nº 3.

          Tenho muita pena, mas neste lapso, vou-me andar arredio da capital; vou para outra, mas do barro leiriense. E deste modo perco de ver, mais uma das muito apreciadas exposições, do consagrado pintor português que tão brilhantemente cá, e além fronteiras, honra a arte das cores e Portugal

  

O modelo do pintor (2005)

Lembrança dos teus beijos (2005)

Destinos do Fado (2003)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:36


1 comentário

De Conceiçao Roseiro a 12.03.2015 às 16:54

Excelentes telas! Gostei muito! Magnifico! Adorei!
Conceiçao Roseiro

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D