Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



NS da Graça e da Enxara

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 09.04.14

 

Antiga igreja matriz de Ouguela

Não foi só Torre de Vale de Todos (Ansião) e Palhais (Barreiro) que a recente reforma administrativa beliscou,  muitas outras freguesias sofreram as consequências dessa lei. Só que estas, por terem Nossa Senhora da Graça por padroeira, mexeram mais com a minha sensibilidade e respeito pela histórica do meu país, que para certos políticos nada conta. Se no concelho de Ansião, Torre de Vale de Todos, com a Lagarteira passaram a constituir a União das freguesias de Ansião, Lagarteira e Torre de Vale de Todos; e no do Barreiro, aconteceu o mesmo com Palhais e Coina, já no de Campo Maior vamos dar com Nossa Senhora da Graça padroeira de Ouguela, aldeia que foi paróquia há muito mais anos, e absorvida  pela  freguesia de São João Batista; mas mantendo-se fiel ao seu passado histórico e sempre sob proteção da sua padroeira que dá o nome ao Centro Comunitário Nossa Senhora da Graça, instituição onde é dada “Resposta social que engloba serviços e atividades diversificadas de acordo com as necessidades sentidas pela população de Ouguela integrando de forma harmoniosa todas as gerações, tendo em vista a integração e formação social das pessoas e da comunidade”. Vizinho desta histórica localidade fica o famoso santuário de NS da Enxara onde para festejar a quadra pascal centenas de fieis se deslocam para ali na Sexta-feira Santa e acampando dois ou três dias só regressam no Domingo de Páscoa ou na Segunda-feira de Pascoela. A festa consta de Missa Campal e Procissão; tourada e outros divertimentos atrativos.

 

Igreja matriz de NS dos Degolados

Não ficou o culto graciano sem representação destacada no concelho de Campo Maior, pois na freguesia dos Degolados tem Nossa Senhora da Graça como sua padroeira. Terra cujo povoamento se diz rondar o ano da descoberta do Brasil, 1500, havendo registos de 1538 que dão noticia de um monte conhecido por “Herdade de Degolados”. Mais tarde, em 1591 surge o primeiro aglomerado de casas e a respetiva fixação de moradores. Começando a ser conhecida como instituição autónoma no século XVII e pertencente, então,  ao concelho de Arronches. Passou em definitivo para Campo Maior a 06 de Dezembro de 1926, e com mais as paróquias de Nossa Senhora da Expectação e de São João Batista, Nossa Senhora da Graça dos Degolados  dá forma ao todo de um concelho, onde Nossa Senhora da Graça e da Enxara são cultuadas e o benemérito Manuel Rui Azinhais Nabeiro, desde 1961 presidente do Grupo Nabeiro/Delta Cafés, é rei e senhor e da sua terra amigo dedicado.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:09


Agora é só aguardar

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 23.02.14

 Com apresentação do Prof. Doutor Armando Palavras, ocorreu ontem, dia 22 de Fevereiro, na Biblioteca Municipal de São Lázaro, em Lisboa, o lançamento do opúsculo "Nossa Senhora da Graça - Na Fé dos Mareantes"; uma pequena brochura que  contém o arrolamento de todas as paróquias de Portugal continental e insular consagradas a Nossa Senhora da Graça e aborda outras que não sendo de culto graciano, este, também ali é fervorosamente festejado. É o caso dos Milagres, em Leiria; de São Mamede de Talhadas, em Sever do Vouga; do Eixo, em Aveiro; de São Vicente de Pereira Jusã, em Ovar; de São Bartolomeu de Vale de Pinta, Cartaxo; de Santo Antão de Padim da Graça, Braga; de São Pedro de Vilar de Ferreiros, Mondim de Basto; ou São Pedro de Manteigas (Manteigas), donde partiu a devoção e a imagem da padroeira da paróquia de Graça, de Benguela (Angola). Destaque dá-se  também a Nossa Senhora da Graça de São Salvador da Baia (Brasil) que graças ao insigne estudioso brasileiro Christovão de Avila soube foi a primeira Padroeira de terras de Santa Cruz.

 Numa cerimónia muito familiar, mas com forte vertente intelectual, um punhado de bons amigos valeu por uma casa cheia. Quanto ao texto o Prof. Doutor Armando Palavras teceu uma elogiosa apreciação como é típico das pessoas generosas.Também a Maria da Graça interveio, assim como o Dr. Artur Couto que com muita lógica fez uma apreciação critica. 

 

Com a presença do ilustre historiógrafo minhoto, Jofre de Lima Monteiro Alves; do distinto beirão, José António Silva; do barrosão, Dr. Artur Monteiro do Couto; da divulgadora dos trasmontanos com mérito, a mondinense Maria da Graça Matos; do apreciado poeta e escritor João de Deus Rodrigues, de Macedo de Cavaleiros; do conceituado bajouquense Dr. José Vitoria Fernandes; do autor, um filho de Vilar de Ferreiros; do orador convidado  Armando Palavras, afecto a Freixo de Espada a Cinta; e da Dra.Gisela, na caixa e nas fotografias, o lançamento ficou feito. Agora é só aguardar por melhores dias...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:37


Em demanda do Presépio

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 08.12.13

Carnide (Lisboa) Nossa Senhora da Luz.

          O Dia 8 de Dezembro é o Dia da Imaculada Conceição, ou simplesmente Dia da Imaculada.  É uma festa universal definida por Sisto IV, em 28 de Fevereiro de 1476. Todavia só a 08 de Dezembro de 1854 é que Pio IX definiu solenemente como dogma de fé a Imaculada Conceição. Apoiando-se para isso não só nos textos bíblicos, como também nos escritos de Santo Ireneu de Lyon e Santo Ambrósio de Milão, Padres da Igreja que sobre o assunto haviam tratado já com profundidade teológica. E não podia ser doutro modo, uma vez que Maria, a “cheia de graça”, em cujo ventre Jesus encarnou, tinha forçosamente  que estar isenta de pecado para poder gerar a 2ª Pessoa da Santíssima Trindade.

 

Nazaré (Israel) aqui, o Anjo anunciou a Maria.

          O dogma reza que a Virgem Maria foi preservada por Deus, da falta de graça santificante que aflige a humanidade, porque ela estava cheia de graça divina. Diz ainda que a Virgem Maria viveu uma vida completamente livre de pecado. Em Portugal, com o titulo de Nossa Senhora da Conceição, ela é rainha e padroeira desde o inicio do reinado da Dinastia de Bragança. A ordem militar de Nossa Senhora da Conceição foi instituída por D.João IV, que alegadamente sintetizaria um culto que em Portugal existiu muito antes de ser dogma, pelo menos na sua designação remete para o conceito popular, não para o conceito teológico afirmado pelo dogma. Do mesmo modo, as paróquias portuguesas anteriormente listadas adoptaram a designação “Nossa Senhora da Conceição” ou “Conceição”, mas não “Imaculada Conceição”. Dia bonito, este, que entre nós já foi Dia da Mãe e do qual o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, nos diz hoje:

          "Não estamos diante de uma simples festa cristã ou de capricho religioso. O dogma resulta de tudo quanto a Igreja viveu até aqui e vive hoje em toda a sua plenitude. Faz parte da identidade da Igreja. Isso mesmo o prova o texto proclamado por Pio IX que apoia a sua argumentação nos Padres e Doutores da Igreja e na sua forma de interpretar a Sagrada Escritura. Ele, de facto, reconhece que este dogma faz parte, depois de muitos séculos, do ensinamento ordinário da Igreja". Este ano calhou ao domingo, o 2º do Advento, guiados por Maria vamos em demanda do Presépio

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:46


Os vossos juìzos

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 22.11.13

O espectáculo que as forças de segurança portuguesas ontem deram do País, mostra o nível cultural, civico e patriótico daqueles que desobedecendo às leis, se manifestaram em frente à Assembleia da Republica, rompendo a barreira de segurança. Um bom exemplo, para mostrar aos cidadãos como se devem  comportar em actos semelhantes. Isto para além da imagem que de deram ao mundo, deste país pelintra, mas arrogante. Assim não vão lá, e até não duvido que com algumas mais, como esta, o Dr. Mário Soares possa acertar....

"INADMISSÍVEL. Se a policia pode ir até á porta, e como funcionários públicos são empregados de todos os que pagam impostos, nós, os tais que pagamos impostos, queremos ir lá dentro. Onde estão as balas de borracha? Onde estão os canhões de água? Em manifestações são cidadãos iguais a qualquer um. Os diversos comandos das diversas policias deveriam ser demitidos, e em última análise os ministros das tutelas, isto num país digno desse nome, e não desta corja de gatunos que implantaram o 25A". - Assim fala um cidadão também indignado, não com o governo, mas com a governação....

 

"A quem vem criticar só por criticar, vou deixar factos, ninguém quer melhores ordenados, queremos ter direitos como os restantes cidadãos!!! -Trabalho 26/27 dias por mês, muitas vezes mais de 8 horas por dia, não recebo horas extras, mas só a contar 8h diárias faço 54h por semana e não recebo mais por isso. -Tenho uma folga a cada 8 dias. -Tenho um Domingo a cada 5 semanas. -trabalho fins de semana, feriados, natal, ano novo, pascoa, e faço no mínimo 2 noites por semana. -Não recebo abono de família, porque sou rico? não, porque declaro cada centimo do que recebo. -Não tenho horário de trabalho, só sei o meu serviço do próximo dia ás 17/18h do dia anterior. -Não tenho direito á greve. -O meu vencimento são 839€ por mês. -O meu trabalho não é dobrar cuecas numa loja, nem apertar parafusos numa linha de montagem, eu arrisco a minha integridade física todos os dias. -Sou observado e criticado, quer na minha vida profissional como pessoal, pois segundo os ex.mos cidadãos eu devo ser um exemplo em tudo(devo ser algum santo e não sei). Por estes motivos todos, vejam e analisem se 800€ por mês, trabalhando muitas mais horas e dias que qualquer privado, com um terço das folgas mensais, trabalhando em turnos rotativos aleatórios, e com uma profissão que afecta profundamente a minha vida pessoal, digam se não mereço sequer esses 800€. Mas a pior coisa da profissão é a falta de reconhecimento e respeito por parte da população, pois sinto-me todos os dias odiado pelo meu povo". - Neste comentário, creio que de um agente da Autoridade, nota-se o parecer de quem com honestidade e coerencia sabe honrar a profissão e a classe.

"Acho incrível a falta de cultura e civismo que algumas pessoas têm, não entendo porque é que algumas pessoas ficam ofendidas quando os polícias lutam. Reparei num comentário de um senhor a dizer que “isto daqui a nada está como no Brasil”, meu senhor, isto devia estar como no Brasil; assim, um policia poderia actuar sem ter receio de ir parar a prisão por ter tentado evitar um assalto ou um crime. É que as pessoas têm telhados de vidro, quando precisam de um polícia e ele não esta lá, é porque não presta e não fazem nada, mas esquecem-se do resto, dos meios operacionais, nos horários que são sujeitos, de saber que vão para o serviço, mas não sabem se voltam a horas, ou se voltam para casa para as suas famílias. Por isso meus senhores e senhoras, lavem a boca a boca antes de falar da polícia sem ter conhecimento, sem terem passado na pele de um polícia nas situações complicadas, porque somos todos humanos. Em todas as profissões há bom e mau, existe polícias que sabem desempenhar as suas funções como existe polícias que não sabem. Mas se um fazer bem, ninguém dá valor se um fizer mal todos sabem criticar". - Para já resultou na demissão do director da PSP, Paulo Valente Gomes, que o Ministro Miguel Macedo aceitou, como colhi na pág. da RR, deste dia. Fiquem com os comentários e façam os vossos juízos, que eu faço os meus. E tenho muito respeito pelas autoridades

Jornal de Notícias

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:40


Não perder a fé, fonte de vida....

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 11.11.13

          O Ano da Fé está a chegar ao termo. Da lavra esperam-se os frutos de que todos carecemos, mas Deus só os dá em abundância a quem fizer por merece-los, lançando a escada….

 

           A iniciativa partiu de Bento XVI e vai encerrar com o Papa Francisco I, no próximo dia 24. Por certo que a muitos favoreceu e ajudou a melhor viver o ideal  cristão que sem este apelo ao renovamento de compromissos a fé  arrefece e perde força. Dia da Solenidade de Cristo Rei do Universo, é também no mês em que a Igreja celebra dois momentos cruciais para a fé cristã. No dia 1 de Novembro, Todos os Santos e no dia 2, Todos os Fiéis Defuntos. Estas duas datas são muito sentidas pelo povo cristão.

          Como se pode ver é um mês muito rico em dias festivos pois além destes tem, no dia 11, São Martinho, com a tradição do vinho e das castanhas, à semelhança do pedir o bolinho, em dia de Todos os Santos, em certas zonas do pais, aqui bem documentado em poema de M. Matias Crespo:

         O Dia do Bolinho

Manhã cedo, a petizada

Acorda alvoroçada.

Veste as roupas, apressada

e lá vai …a rua é dela…

Leva saquinha na mão

E bate de porta em porta

a pedir “pão”:

- Dá “pão de Deus”, meu senhor?

Uns dizem “não”,

secamente,

sem repararem

que , de tal modo, se lança

a tristeza

na alma de uma  criança.

Outros dizem “sim”

e dão

uma formosa lição,

criando a esperança

nos homens de amanhã.

Também eu, neste momento,

peço bolinho ao leitor…

Não desejo rebuçados nem castanhas

nem moedas nem pevides

nem bolos adocicados…

Só vos rogo  este favor:

- Não quebreis a tradição.

Dai muito ou pouco

à pequenada,

dai por amor

saído do coração

- É este o meu bolinho...

Não quero mais nada.

          In O Mensageiro de Leiria, de 29/10/1987.

          À volta do mês de Novembro, que é o decimo primeiro do ano civil. Mas era o nono mês do antigo calendário romano. Daí a origem da palavra Novembro, que vem, obviamente, da palavra nove ou nono. Mas é com o Símbolo dos Apóstolos, que encerro este post e assim procuro prestar homenagem às paróquias da baixa alfacinha que ao longo do Ano da Fé o incluíram em todas as missas celebradas  de 2ª a 6ª-feira nas respectivas igrejas:

          Símbolo dos Apóstolos
 Creio em Deus,
Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra;
e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado;
desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia;
subiu aos Céus,
onde está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo.
na santa Igreja Católica;
na comunhão dos Santos;
na remissão dos pecados;
na ressurreição da carne;
na vida eterna. Amen.

          Que este Ano da Fé não se fique pelo que foram os actos mais ou menos solenes realizados ao longo do lapso envolvente, mas tenha continuidade e produza efeitos numa sociedade que parece desencontrada com ela própria. Há que não perder a fé, fonte de vida...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:38


Juventude do Altinho

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 26.10.13

          Mais uma vez os ex-alunos da antiga Escola Primária Masculina, nº61, do Altinho-Santa Maria de Belém se reuniram no seu jantar-convívio que bianualmente desde há uns anos a esta parte vêm organizando. Numa espécie de convidado de honra tenho vindo a participar nesses eventos e só faltei ao primeiro deste ano porque a doença de uma pessoa muito intima mo não permitiu. Mas como diz o ditado  “não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe”, e assim aconteceu na 6ª-feira, dia 25, pois de novo me juntei ao grupo para mais um animado jantar-convívio  num restaurante da marginal, no Dafundo.

         Como de costume a concentração é por volta das 18:00h junto á Chique de Belém, uma boa ocasião para recordar os tempos em que vivi e trabalhei naquela zona de Lisboa. E hoje mete-me pena ver as instalações das famosas OGME deitadas a baixo para transformar o espaço em Museu dos Coches, como o mal engendrado mono de cimento armado deixa ver. Ainda dizem que não há dinheiro neste país esbanjador!

         Como noutra ocasião já os apresentei, são todos "pasteis" de alma e coração; a sua infância e juventude física, entronca nos bons tempos do C.F. Os Belenenses, com Matateu e Vicente no topo dos melhores jogadores portugueses.

 

         Do grupo, fazem parte os meus ex-companheiros de trabalho, Fernando Pinto  e o Tomé, mas ao Dr. Pegado devo o meu convite de ingresso. Este velho amigo que vem do Funchal propositadamente para tomar parte no evento de que é também um dos seus promotores e dinamizadores. Mas outros como o Eng. João Luís Inácio, o João Nabeiro e o Jaime colaboram no que podem. Nesta foto temos o grupo apanhado distraído na cavaqueira.

          Aqui, o grupo já em pose para a foto, e todos prontos para o saboroso carneiro à casa.

 

          Dos não condiscípulos, além de mim, também o Sr. Francisco Ferreira Borges, um "jovem" com 94 anos, foi outro convidado, este o decano de todos os participantes. E aqui o temos de copo em riste a mostrar aos jovens como é que se chega aos cem....Dizia-me o filho: hoje vi o meu pai fazer uma coisa que nunca lhe vi fazer: beber bagaço! Mas o que quero é que se sinta feliz.  Parabéns a toda esta "juventude" da zona do Altinho e ao decano dessa "mocidade" dos tempos do Matateu e do Ferrador; aquele meu abraço, e desde já me faço convidado para no próximo dia 9 de Maio, pois quero um novo bate-papo com o "jovem" F. Ferreira Borges e de factos e figuras afetos a esta zona ocidental de Lisboa, como de seu irmão Amorim, que foi conhecido jogador do Belenenses e do Caldas de Rainha, ficar a saber mais.   

     

          E com este vídeo fica a reportagem  mais completa e quem quiser ver as anteriores só tem que pesquisar por "dafundo" no blog: http://aquimetem.blogs.sapo.pt (Portugal, minha terra). A juventude do Altinho

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:38


A arte das cores e Portugal

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 03.10.13

Um mestre do pincel e paleta, que nas cores fortes se inspira

          O pintor António Carmo é um distinto alfacinha que nasceu na Madragoa, em 1949. Fez os seus estudos na Escola Decorativa António Arroio, onde na área de Pintura cursou. Dotado com forte vocação e sensibilidade  para a prática de tudo quanto seja arte em movimento e cor, também o actuar em  palco ou salão lhe cativou o gosto, que satisfez, ao fazer parte do Grupo de Bailados Verde Gaio, entre 1967 e 1980.

          Mas é do pintor que Fernando Paulouro Neves, faz este comentário: "Um dos traços distintivos da Pintura de António Carmo é o universo cultural que ela ilumina e reflecte como caligrafia plástica de grande beleza". Que mais adiante remata com este final: " Vou a Malraux e encontro porventura uma definição da arte de António Carmo, quando, em " As vozes do silêncio", ele escreveu: "A pintura tende muito menos para ver o Mundo que para, a partir dele, criar um outro; o Mundo serve o estilo e serve o Homem e os deuses". E clarifica: " À pergunta " o que é a Arte?", somos levados a responder:Aquilo pelo qual as formas se tornam estilo" É essa a verdade que irrompe e se afirma com as suas metamorfoses de imaginário, no universo criador de António Carmo".

          De trato afável, expressivo e  franco, o mestre Carmo deu-se-me a conhecer numa estação do Metro, onde ambos costumamos apanhar transporte, e desde esse dia passamos a ficar amigos. A sua pintura que já o levou a todos os cantos do mundo é também um complemento para o enriquecimento da bagagem cultural que a sua simplicidade não alardeia, mas o comportamento revela. Desses muitos países em que já expôs, destacamos: Inglaterra. Espanha, Holanda, Bulgária, Alemanha, Bélgica, Checoslováquia, Luxemburgo, Macau, Japão, Austrália, Guiné-Bissau, Marrocos, U.S.A; Canadá, Venezuela, Suíça, Suécia, Cabo Verde e Brasil. No país, não deve haver sítio nobre onde não tenha exposto. Neste momento, por um convite para a abertura da exposição sei que de 2 a 8 de Outubro pode ser visitada no Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, na Rua Fialho de Almeida, nº 3.

          Tenho muita pena, mas neste lapso, vou-me andar arredio da capital; vou para outra, mas do barro leiriense. E deste modo perco de ver, mais uma das muito apreciadas exposições, do consagrado pintor português que tão brilhantemente cá, e além fronteiras, honra a arte das cores e Portugal

  

O modelo do pintor (2005)

Lembrança dos teus beijos (2005)

Destinos do Fado (2003)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:36


550 Anos de Luz....

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 24.09.13

          Este ano a famosa procissão de Nossa Senhora da Luz que todos os anos tem lugar em Carnide (Lisboa), no último domingo de Setembro, foi antecipada para o domingo anterior, visto este ano haver eleições autárquicas, nesse dia, em Portugal. Desde 1443, faz agora 550 anos, que Nossa Senhora é cultuada por esse titulo, que dizem se veio sobrepor ao do Espírito Santo que primeiro teve ali ermida. Quem de certeza foi e é também cultuado em Carnide é o meu vizinho São Lourenço, patrono da freguesia e que este ano, com São Francisco foi também na procissão. Uma iniciativa muito louvável do zeloso pároco Frei José António

            Se as cerimonias religiosas atraem milhares de devotos, vindos das mais afastadas redondezas da capital, a feira da Luz por sua vez contribui de certa forma para dar apoio a esse avolumar de fieis que aproveitam para mercar ou comercializar numa feira, onde se vendem roupas, olaria, cestaria, loiças, artesanato, mobiliário, e não falta também a boa restauração, as farturas e a tasquinha dos coiratos. Já lá vai o tempo em que era uma das mais importantes feiras de gado da região saloia e alfacinha. Tudo acaba e até o que resta de feira, por este andar também está por um fio...

 

           Indisponível para acompanhar a procissão ao longo de seu trajecto optei por aguardar a sua passagem junto ao portão da igreja de São Lourenço, onde sabia ela ia passar para integrar no cortejo o padroeiro e seu companheiro São Francisco. Do Santuário da Luz, pela Rua da Fonte, a procissão saiu por volta das 16:00h após a missa solene, e ao passar ao portão da quinta de São Loureço recebeu as imagens a que se fez referencia, continuando agora pela Estrada da Correia, Largo do Malvar e Largo do Jogo da Bola, de regresso ao Santuário.

  

          Como sempre muitos devotos na procissão, e muitos fieis que pela idade ou maleitas, e  muitos também por comodismo, se ficam pelo caminho ou janela. Há de tudo e o importante é ter fé, até porque estamos em Ano dela. 

 

          A passar junto ao portão da igreja de São Lourenço

  

           Momento em que as imagens se integram na procissão sob orientação do padre frei Silvestre, aqui muito atento a ver desfilar os devotos

          Ainda no mesmo local outra foto que mostra a procissão a deixar o Largo do Coreto para entrar na  Estrada da Correia.

 

            Na Estrada da Correia, junto ao Chafariz

 

           Aqui a procissão já no Largo do Malvar, no momento em que passava o Pálio, com o Santo Lenho

 

           E logo a trás do Pálio, a Imagem de Nossa Senhora da Luz que este ano celebra 550 Anos de Luz...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:58


14 e 15 de Setembro

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 13.09.13

Entrada no Santo Sepulcro

         Neste local santo, em Jerusalém, foi sepultado Jesus Cristo e perto descoberta a Cruz onde foi pregado e como homem morreu. Local onde segundo a tradição, também a Vera Cruz  foi descoberta em 326 por Santa Helena de Constantinopla, mãe do Imperador Constantino I,  durante uma peregrinação à cidade de Jerusalém.

A igreja foi dedicada nove anos após, em 335, com uma parte da cruz em exposição. Em 13 de Setembro ocorreu a dedicação da igreja e a cruz foi posta em exposição no dia 14, para que os fiéis pudessem orar e venerá-la.

Entrada na igreja do Santo Sepulcro

          Até 1969, a quarta-feira, sexta e sábado após 14 de Setembro eram considerados como um dos quatro conjuntos de dias de têmporas. A organização destas celebrações específicas, agora, estão sob discernimento das  conferências episcopais, que devem considerar usos e costumes de suas localidades. Esta data também marca o início do tempo de jejum pela Regra de Santo Alberto.  De acordo com as regras litúrgicas da Igreja Católica Romana,  o presbítero deve utilizar vestimentas vermelhas neste dia.

 

Foto do blog Os Calvários

          Foi na Cruz que Jesus Cristo ofereceu ao Pai o Seu Sacrifício, em expiação dos pecados de todos os homens. Por isso, é justo que veneremos o sinal e o instrumento da nossa libertação. Amanhã, dia 14, festeja-se a Exaltação da Santa Cruz, e no dia 15 é a festa de Nossa Senhora das Dores, festa que anda à volta do sacrifício do Redentor e à Cruz onde  nos redimiu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01


Digno de ver

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 11.07.13

 

          Natural de Torres Vedras, onde nasceu a 16 de Julho de 1948, D. Manuel José Macário do Nascimento Clemente, após a sua ordenação sacerdotal desempenhou as funções de vigário paroquial nas paróquias de Torres Vedras e Runa até 1980, altura em que foi nomeado para a equipa formadora do Seminário dos Olivais. Foi nomeado cónego da Sé Patriarcal em 1989. Depois entre 1989 e 1997 foi vice-reitor deste seminário e em 1997 foi promovido a reitor.

           Foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa, com o titulo de bispo titular de Pinhel, a 6 de Novembro de 1999 por João Paulo II. A ordenação episcopal decorreu a 22 de Janeiro de 2000 na igreja do Mosteiro dos Jerónimos. Escolheu para lema episcopal: «In Lumine tuo».

        A 22 de Fevereiro de 2007 foi nomeado bispo do Porto pelo Papa Bento XVI. Entrou solenemente na diocese a 25 de Março.

        A 18 de Maio de 2013,  a Nunciatura Apostólica numa nota enviada à agência Ecclesia anuncia oficialmente a sua nomeação como Patriarca de Lisboa. Numa declaração de despedida à diocese do Porto, D. Manuel Clemente deixa a certeza de que “o coração não tem distância, só profundidade acrescida”.

 

          A posse canónica decorreu a 6 de Julho na Sé Patriarcal, perante o Cabido da mesma, e a entrada solene no Patriarcado de Lisboa realizou-se no dia seguinte, Domingo, 7 de Julho, na igreja do Mosteiro dos Jerónimos, às 16:00h.  Conceituado homem de Cultura e excelente facilidade de comunicar, D. Manuel Clemente é autor de uma vasta obra historiográfica, com destaque para títulos como: Portugal e os Portugueses e Um só propósito publicados em2009 e Igreja e Sociedade Portuguesa, do Liberalismo à República. Também nos meios de comunicação social D.Manuel Clemente é uma figura bem conhecida e admirada por crentes e não crentes

          Esta nomeação não foi de todo uma surpresa, uma vez que que D. Manuel Clemente é considerado um dos profundos pensadores do País na actualidade, e há muito era dado como o mais provável sucessor de D. José Policarpo; confirmou-se, assumindo, assim, o mais destacado cargo da Igreja Católica em Portugal. Recorde-se que pelo facto de Lisboa ser sede de um Patriarcado Metropolitano, ou seja, o Patriarca é também Metropolita da Província Eclesiástica de Lisboa, D. Manuel Clemente recebeu o pálio das mãos do Papa Francisco, durante uma cerimónia de imposição que decorreu na Basílica de São Pedro, em 29 de Junho pp. 

          Aproposito é de lembrar também que por Bula do Papa Clemente XII, de 17 de Fevereiro de 1737, ficou determinado que a pessoa nomeada Patriarca de Lisboa seja elevada à dignidade cardinalicia no Consistório imediato à sua eleição. Desse modo só nessa ocasião é que o Patriarca de Lisboa após a elevação a Cardeal assume o titulo da Cardeal-Patriarca de Lisboa.

           À Eucaristia da sua entrada solene na diocese, assistiram as mais altas individualidades religiosas, civis,  militares e politicas que no fim foram cumprimentadas, ao fundo da igreja, por D. Manuel. Entre as caras conhecidas destacamos  a esposa de Dr. Mário Soares, que não é agnóstica....

          Além do Presidente da Republica, também a Presidente da Assembleia da Republica e o Primeiro Ministro se associaram à solenidade

           Também D. Duarte Nuno e família como bons cristãos jamais faltariam a um acto desta natureza.

          Só a RTP-1 é que se portou muito mal numa transmissão que passou parte do tempo estagnado, sem imagem, e a pedir desculta por um problema que é o habitual: de servir mal os seus telespectadores. Não souberam, ou não sabem, aproveitar o que podia ser digno de ver. Mesmo assim, aproveitei alguma coisa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:37


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D